Em ótima companhia em qualquer lugar
Rádio Difusão, a sua melhor escolha
Sintonize conosco e fique por dentro de tudo
Ouça os melhores lançamentos musicais

Bem Mulher – O que eu aprendi com a maternidade

Publicado 8/05/2021 às 05:00

A maternidade é uma experiência repleta de descobertas, conquistas e aventuras. Desde que me tornei mãe, muita coisa mudou na minha vida. Os planos futuros, a rotina, o sono, as preocupações… Experimentei uma mistura de sentimentos: alegria e insegurança, medo e, ao mesmo tempo, descobri que existia uma força enorme dentro de mim.

Com a chegada da minha filha muitas coisas aconteceram. As prioridades mudaram totalmente! Aproveitar um tempinho de folga, uma viagem ou até aquela produção acabam ficando pra trás. Nos primeiros anos, aquele banho demorado ou me arrumar, foram ficando pra trás. Perdi um pouco da vaidade, mas achei risos e olhares nunca encontrados nem nos melhores flertes.

A maternidade fez com que algumas coisas que eram imprescindíveis pra mim perdessem a importância. Desde que minha filha nasceu, ela se tornou prioridade. Nos primeiros meses as noites tranquilas de sono não existiam, a alimentação mudou e cada dia era uma nova descoberta. Minha filha trouxe a maior das alegrias, o amor mais verdadeiro e puro do mundo e preencheu um espaço que eu não sabia que existia.

A maternidade fez com que eu me tornasse mais altruísta e menos egoísta. A vinda da minha filha mudou os eixos da minha vida, passei a ver o mundo com outros olhos. Deixei de pensar somente em mim para aprender a dividir, esperar, anular ou simplesmente deixar a vontade para depois. Aprendi a falar baixo, a cantar, e principalmente, a ser forte e corajosa.

Mas apesar do desgaste, a experiência da maternidade trouxe uma otimização melhor do tempo. Antes qualquer coisa era motivo para eu me sentir cansada. Quando virei mãe, ganhei junto um fardo de força extra – tanto física quanto emocional.

Sim, a maternidade me trouxe uma força enorme que eu nem sabia que tinha. Descobri que ser mãe é instintivo. Reconhecia cada choro, sorriso, olhar e gesto. Ser mãe é gratificante, pois nosso colo cura tudo e o amor é bem maior do que sentíamos por qualquer outra coisa. Entendi que preciso ser forte e não posso me deixar abater por nada nesse mundo, afinal, eu sou o porto seguro dela.

A experiência de ter uma filha, me trouxe um sentimento de insegurança no início. Mas com o tempo, fui me adaptando à nova função e aprendi a confiar no seu instinto. Eu tive medo do desconhecido. Chorei por não saber o que fazer e quando conseguia me acalmar, sempre brotava o sentimento de super-heroína.

O sentimento que descobri com o nascimento da minha filha é avassalador. Ouvi muito falarem que só quem é mãe sabe o que é amor incondicional. Hoje sou a prova viva disso. Há 22 anos fui abençoada por Deus. Ele colocou na minha vida a minha filha, Liana Laura, e posso dizer que agora tudo faz sentido, que tenho um coração batendo fora do corpo. O meu amor por ela é capaz de superar qualquer frustração.

Ser mãe é experimentar um misto de sentimentos: alegria, emoção, insegurança, medo e, claro, muito afeto. Aprendi a dar valor às coisas simples e que um sorriso no meio da madrugada te faz esquecer do sono, do cansaço. Aprendi que muitas vezes a gente erra, mesmo tentando acertar e que, por mais que a gente se esforce, às vezes as coisas fogem do controle. Mesmo tendo muita informação por aí, tem horas que ficamos perdidas, pedindo um manual de instrução. Aprendi também que a maternidade nos deixa em uma linha tênue entre o estresse absoluto e o amor infinito e puro, impossível de mensurar.

Por isso, nesse Dia das Mães, eu quero homenagear todas as mulheres que, como eu, se tornaram mais fortes e completas com a graça da maternidade. Um feliz e abençoado Dia das Mães!

por Neiva Liane Bresolin – Instagram @neivaliane – Facebook: /neivaliane.bs