Em ótima companhia em qualquer lugar
Rádio Difusão, a sua melhor escolha
Sintonize conosco e fique por dentro de tudo
Ouça os melhores lançamentos musicais
Frequência Livre
Apresentação
Paulo Frizzo
Rádio Cidade
Apresentação Francisco Basso Dias
PUBLICIDADE

CCR ViaSul anuncia duplicação na BR-386 entre Lajeado e Carazinho

Publicado 12/05/2021 às 04:10

Reprodução

Durante o evento Tá na Mesa, da Federação de Entidades Empresariais do Rio Grande do Sul (Federasul), o diretor-presidente da CCR ViaSul, Fausto Camilotti, anunciou o início das obras de duplicação da BR-386, entre os municípios de Lajeado e Carazinho, no interior do Estado. A partir do começo dos trabalhos, que deverá ocorrer até a próxima semana, serão cerca de 166 quilômetros duplicados em nove anos.

“Será uma capacidade diferenciada de escoamento da produção, com facilidade da chegada da riqueza de produtos para os portos e vai fortalecer a capacidade de logística do Rio Grande do Sul. É a obra de infraestrutura mais importante do estado neste momento”, afirmou Camilotti. Assim que o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) liberar a licença, as equipes iniciam imediatamente a primeira etapa da obra, que são 20 quilômetros entre Lajeado e a cidade de Marques de Souza. São previstos seis alargamentos de pista, oito travessias de pedestres, seis adequações de acessos e novas pontes. Cerca de mil empregos gerados diretos são esperados nos trabalhos de operação, conservação, atendimentos, manutenção e tecnologia deste trecho.

Outras cinco etapas darão sequência aos trabalhos, a começar por 25,6 quilômetros que ligarão as cidades de Fontoura Xavier e Soledade e que deverão concluídos até o ano de 2024. A terceira parte da obra, entre Soledade e Tio Hugo, tem 30,5 quilômetros de extensão e deve ficar pronta em 2025. Depois, será a vez do trecho de 54,9 quilômetros entre Marques de Souza e Fontoura Xavier, que só será entregue em 2028. A última parte da duplicação é a que liga os municípios de Tio Hugo e Carazinho. Neste trecho, que tem previsão de conclusão em 2030, serão melhoradas as condições de 34,6 quilômetros de estrada.

Outro destaque feito por Camilotti é o Centro de Atendimento à Comunidade Lindeira (Cali), um veículo que percorre a rodovia atendendo a população e esclarecendo dúvidas sobre as obras, acessos e faixas de domínio. “Sempre que há obras, há desconforto de quem está no entorno. Então é importante darmos essa satisfação aos usuários”, contou o diretor-presidente da concessionária que já investiu R$ 500 milhões desde janeiro de 2019 e prevê mais R$ 370 milhões em 2021. “Nos próximos nove meses, as quatro rodovias (290, 101, 448 e 386) estarão 100% monitoradas, com 1.136 câmeras, incluindo passarelas e praças de pedágio”, informou Camilotti.

Segundo dados da CCR ViaSul, já foram repassados R$ 46 milhões de reais em ISSQN aos 36 municípios abrangidos pelas rodovias: quase R$ 9 milhões para a região da BR-101, R$ 23 milhões para as cidades do entorno da BR-290, R$ 532 mil para as cidades da BR-448 e R$ 14 milhões para os municípios da BR-386. “Estamos segurando uma manada de búfalo. No momento em que tudo passar, vamos soltar essa manada e os PIBs regional e nacional vão vencer e vamos fortalecer a economia”, prevê Camilotti que comemora ver a CCR ViaSul como “o maior grupo econômico de infraestrutura em território brasileiro, que não trabalha só com rodovias, mas também administramos aeroportos (três no Rio Grande do Sul, Bagé, Uruguaiana e Pelotas) e atuação em mobilidade, metrô, barcas e trens”, concluiu.

por CP