Em ótima companhia em qualquer lugar
Rádio Difusão, a sua melhor escolha
Sintonize conosco e fique por dentro de tudo
Ouça os melhores lançamentos musicais
PUBLICIDADE

Chuva de janeiro não afasta o perigo de estiagem no Estado

Publicado 4/01/2021 às 08:05

O mês de janeiro de 2021 tem potencial para ter mais dias com chuva significativa em relação a igual período do ano passado, porém, não deverá ser suficiente para evitar um quadro de estiagem no Rio Grande do Sul. Janeiro. Em geral, são esperados de dois a cinco dias com forte precipitação pluviométricas e com acumulados diários superior a 20 milímetros de chuva neste mês. De acordo com a meteorologista Estael Sias, da MetSul Meteorologia, apesar de ser um cenário até otimista para o verão, a chuva não será suficiente para reverter o quadro de estiagem e os seus efeitos, sobretudo, no que diz respeito ao baixo volume dos rios.

Estael salienta que a chuva será bastante irregular e também mal distribuída no Rio Grande do Sul. A meteorologista explica que o La Niña, que é a diminuição da temperatura da superfície das águas do Oceano Pacífico e que foi oficialmente constatada no dia 10 de setembro de 2020, começou a influenciar o clima, já a partir de outubro do ano passado, resultando principalmente em um período com maior estiagem para os gaúchos. Já no ano anterior, período que não houve o fenômeno, a estiagem só começou a partir do mês de novembro.

La Ninã influencia o clima no Rio Grande do Sul e pode prejudicar as culturas da estação. Foto: reprodução

Estael explica que o normal da chuva para o Rio Grande do Sul no mês de janeiro é ao redor de 100 milímetros em regiões como na Campanha, Sul e Oeste do Estado. Já na divisa com Santa Catarina, o volume da média normal é de 150 a 175 milímetros de chuva. A chuva deverá ficar um pouco acima da média na Metade Norte e abaixo da média no Oeste, Campanha e Sul. São previstos temporais com vendáveis e granizo de curta duração associados ao calor. Entre o Oeste e o Sul a frequência de chuva será bem menor em relação a outras áreas. Haverá um predomínio maior de dias com sol.

A temperatura, por sua vez, deve ficar ao redor da média, porém o Estado deve ter pulsos de ar frio que poderão propiciar noites, manhãs e madrugadas com temperatura abaixo da média com nos últimos dias. Ontem, por exemplo, os termômetros marcam temperaturas mínimas de 5ºC em São José dos Ausentes e em Vacaria, com 9,9ºC no amanhecer.

A meteorologias cita, por exemplo, que as temperaturas baixas nas primeiras horas do dia podem prejudicar culturas como o arroz, que abaixo dos 15ºC sofre influência no seu desenvolvimento. As manhãs e madrugadas um pouco mais frias do que o normal para esta época também é causada pelo fenômeno La Niña. Já para os meses de fevereiro e março, Estael explica que haverá pouca chuva e ondas de calor.

Por JC
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE