Em ótima companhia em qualquer lugar
Rádio Difusão, a sua melhor escolha
Sintonize conosco e fique por dentro de tudo
Ouça os melhores lançamentos musicais
Momento Nativo
Apresentação de Paulo Frizzo
Panorama de Notícias
Apresentação Amílton Drew e Edilon Flores

Cirurgiões de quadril realizam procedimento em paciente com Covid-19 no Hospital de Caridade

Publicado 5/08/2020 às 02:23
Fotos: HC/Divulgação

Fotos: HC/Divulgação

O médico ortopedista e traumatologista Neri Omizzolo já realizou mais de 2 mil cirurgias de quadril ao longo de 25 anos de carreira. No entanto, recentemente, ele teve uma experiência nova: conduzir um procedimento com uma paciente de 80 anos contaminada pela Covid-19. “O quadro clínico indicava que a cirurgia de quadril era a alternativa para garantirmos a sobrevivência dela, a retirada da dor e a recuperação de suas funções motoras. Esse é o trabalho do médico, ajudar o paciente a resolver seus problemas, buscando garantir qualidade, segurança e o melhor resultado possível’, resume o ortopedista.

Durante a operação, Omizzolo contou com o apoio do cirurgião Rodrigo Mocelin, do médico anestesiologista André Rigo e das demais equipes de profissionais do Hospital de Caridade de Erechim, onde foi realizado o procedimento.

Cuidados redobrados da equipe

Omizzolo

Ortopedista e traumatologista Neri Omizzolo

Colocando-se na linha de frente do cuidado, Omizzolo conta que todas as pessoas envolvidas na operação tomaram as precauções necessárias por se tratar de uma paciente com teste positivo para o novo coronavírus – o que significou um aparato extra de equipamentos de proteção individual. “Nunca havia operado vestindo tantos aventais, luvas e máscaras. No entanto, fomos bem sucedidos em todos os aspectos”, destaca o médico. “E para melhorar, quatro dias depois, a paciente teve alta hospitalar e se recupera bem da cirurgia e da Covid-19”.

O médico salienta, ainda, que o procedimento cirúrgico foi efetuado em um tempo mais curto do que costuma ser para evitar a exposição dos presentes.

Evolução
A cirurgia, neste caso, foi o caminho escolhido para evitar que a paciente evoluísse para quadros que poderiam acarretar de trombose a infecções, comuns nesses quadros. “Quanto antes se opera, mais cedo a pessoa tem condições de voltar à vida normal”, explica o especialista.

Omizzolo também lembra que a cirurgia de quadril foi uma das que mais evoluiu na medicina: “Antigamente, o paciente levava de 45 a 90 dias para se recuperar, hoje, dependendo do caso, ele está recuperado em até 24 horas”. Isso se dá pela evolução da técnica cirúrgica, como a mini-incisão anatômica, e o fato de utilizarmos próteses mais modernas, além da capacitação dos cirurgiões.

PUBLICIDADE