Em ótima companhia em qualquer lugar
Rádio Difusão, a sua melhor escolha
Sintonize conosco e fique por dentro de tudo
Ouça os melhores lançamentos musicais
PUBLICIDADE

Enfermeiros do Município participam de treinamento para campanha de vacinação contra Poliomelite e Multivacinação

Publicado 25/09/2020 às 01:53
Foto:Prefeitura/Ascom

Foto:Prefeitura/Ascom

A Secretaria de Saúde de Erechim (RS) – Núcleo de Imunizações – promoveu, no dia 24 de setembro, um treinamento para enfermeiros e técnicos de enfermagem da Atenção Básica. O objetivo foi o de alinhar estratégias para a Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite e Multivacinação, que inicia no dia 5 de outubro.

Devido ao cenário epidemiológico atual, com a pandemia de Covid-19, um dos serviços que também sofreu impacto negativo foi a vacinação. A diminuição da procura ocasionou a queda dos índices de cobertura vacinal em todo o país.

É importante lembrar que essa queda na cobertura vacinal pode ocasionar o ressurgimento de doenças graves já erradicadas, como é o caso da poliomielite. Portanto, a vacinação precisa ser retomada efetivamente, para o que é necessário um esforço conjunto entre os serviços de saúde e a população.

Para tanto, entre os dias 5 e 30 de outubro, o Ministério da Saúde realiza a Campanha de Vacinação contra Poliomielite e Multivacinação. O Dia “D” de Mobilização nacional está marcado para o dia 17 de outubro, quando todas as Unidades Básicas de Saúde (UBSs) ficam abertas das 8h às 17h ininterruptamente para vacinação.

Para quem é a campanha
O público alvo desta campanha são as crianças e adolescentes de 0 a 15 anos que devem ter sua situação avaliada e atualizada para as vacinas de rotina; e todas as crianças de 1 ano de idade a menores de 5 anos devem receber a dose da vacina oral contra a poliomielite. Os pais ou responsáveis precisam procurar os serviços de saúde com a caderneta de vacinação para que seus filhos sejam imunizados.

A secretaria de Saúde entende como fundamental que a população participe da campanha e procure os serviços de vacinação. “Não podemos correr o risco do ressurgimento de doenças graves e incapacitantes que já foram erradicadas do país, por isso pedimos que fiquem atentos às datas de início e não deixem de levar crianças e adolescentes para a vacinação”, destacam representantes do Núcleo de Vigilância Epidemiológica e Imunizações.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE