Em ótima companhia em qualquer lugar
Rádio Difusão, a sua melhor escolha
Sintonize conosco e fique por dentro de tudo
Ouça os melhores lançamentos musicais
Toque Sertanejo
Apresentação
Docimar Schmidt e Paulo Frizzo
Rádio Cidade
Apresentação Francisco Basso Dias
PUBLICIDADE

Gabinete de Crise do RS confirma Alertas para Caxias do Sul, Erechim, Pelotas e Santa Maria

Publicado 27/05/2021 às 07:58

Foto: reprodução CP

O Gabinete de Crise confirmou, nesta quarta-feira, que emitiu Alertas para as regiões de Caxias do Sul, Erechim, Pelotas e Santa Maria. Agora, elas têm o prazo de 48 horas para apresentarem um plano de Ação ao governo de Estado.

Segundo Gabinete de Crise, às regiões de Bagé e Santa Cruz do Sul foram enviadas um segundo Aviso, além do que receberam na semana passada. A região de Taquara, que ainda não tinha recebido nenhum, se une a essas duas, na medida em que o número de casos está aumentando e houve redução na agilidade da vacinação. No último sábado, as regiões de Capão da Canoa, Guaíba, Novo Hamburgo e Porto Alegre receberam Avisos e seguirão sendo monitoradas pelo GT Saúde.

Além dos quatro novos Alertas, as regiões de Cruz Alta, Ijuí, Passo Fundo, Santo Ângelo, Palmeira das Missões, Santa Rosa e Uruguaiana ainda inspiram cuidados. Por isso, o Gabinete de Crise manteve o Alerta para elas, que já apresentaram planos de Ação com protocolos que devem estar adaptados à situação epidemiológica de cada uma.

De acordo com o Gabinete de Crise, uma reunião devolutiva será realizada nesta quinta-feira com as regiões para falar sobre as medidas adotadas. Enquanto isso, a situação da pandemia está sendo monitorada em todas as regiões.

Alertas e avisos confirmados hoje

Pelotas

A região de Pelotas apresentou incidência de 254,1 casos confirmados por 100 mil habitantes na última semana, aumento de 17,8% frente à anterior. Também apresentou taxa de mortalidade acumulada na semana de 8,08 óbitos por 100 mil habitantes na última semana, alta de 14,5% frente à anterior. É a sexta maior taxa do Estado, sendo 27,1% superior à média estadual.

Caxias do Sul

A região de Caxias do Sul apresentou incidência de 308,5 casos confirmados por 100 mil habitantes na última semana, aumento de 18,7% frente à semana anterior. É a 12ª maior incidência do Estado entre as 21 regiões Covid-19 na última semana, sendo 14,6% superior à média estadual. Ao longo da última semana, Caxias do Sul apresentou aumento de 7,8% internados em leitos clínicos, uma variação de 29 pacientes. Assim, a região tem 402 internados por Covid-19 em leitos clínicos.

Santa Maria

A região de Santa Maria apresentou incidência de 355,8 casos confirmados por 100 mil habitantes na última semana, aumento de 26,1% frente à semana anterior. É a 9ª maior incidência do Estado entre as 21 regiões Covid-19 na última semana, sendo 32,1% superior à média estadual. Além disso, Santa Maria apresentou taxa de mortalidade acumulada de 9,11 óbitos por 100 mil habitantes na última semana, aumento de 6,3% frente à semana anterior. É a quarta maior taxa de mortalidade recente do Estado entre as 21 regiões Covid-19 na última semana, sendo 43,4% superior à média estadual.

Erechim

A região de Erechim apresentou incidência de 306,1 casos confirmados por 100 mil habitantes na última semana, aumento de 24,2% frente à anterior. Também apresentou taxa de mortalidade acumulada na semana de 4,72 óbitos por 100 mil habitantes na última semana, um aumento de 175,0% frente à anterior. Além disso, houve um aumento de 44,6% de internados em leitos clínicos, entre suspeitos e confirmados, o que representa uma variação de 25 pacientes. Com isso, a região tem 81 internados por Covid-19 em leitos clínicos.

Taquara

A região de Taquara recebeu um Aviso porque apresentou incidência de 314,9 casos confirmados por 100 mil habitantes na última semana, aumento de 87,3% frente à semana anterior. Essa incidência representa a 10ª maior do Estado entre as 21 regiões Covid-19 na última semana, sendo 16,9% superior à média estadual. Além disso, a região apresentou taxa de mortalidade acumulada na última semana de 3,4 óbitos por 100 mil habitantes, um aumento de 33,3% frente à anterior.

por CP