Em ótima companhia em qualquer lugar
Rádio Difusão, a sua melhor escolha
Sintonize conosco e fique por dentro de tudo
Ouça os melhores lançamentos musicais
Correspondente Ipiranga.
Rede Gaúcha SAT
Correspondente Ipiranga
Rede Gaúcha SAT

IFRS campus Erechim participa de força-tarefa que produz protetores faciais para profissionais de saúde

Publicado 26/03/2020 às 08:30
Equipamento de proteção facial | Fotos: IFRS/Divulgação

Equipamento de proteção facial  |  Fotos: IFRS/Divulgação

Um força-tarefa destinada a produzir equipamentos de proteção facial para profissionais de saúde está se articulando na Serra Gaúcha e no município de Erechim. O Instituto Federal do Rio Grande do Sul (IFRS) faz parte da rede nesses locais. O objetivo é aumentar a proteção de médicos, enfermeiros e técnicos que estão trabalhando no enfrentamento da emergência em saúde pública com o novo coronavírus (Covid-19). Os materiais são doados a hospitais e serviços de saúde.

Segundo o IFRS, outros dos seus campi também estão em diálogo constante com autoridades e especialistas de saúde locais para levantar demandas e estudar formas de auxiliar no momento atual.

Erechim entrega o primeiro protótipo de protetor facial para validação

Protótipo produzido no IFRS Campus Erechim | Foto: IFRS/Divulgação

Protótipo produzido no IFRS Campus Erechim  |  Foto: IFRS/Divulgação

Inspirado no projeto Pacto Alegre, que reúne voluntários para atender demandas de hospitais por equipamentos de proteção individual, o professor Airton Bortoluzzi, do IFRS Campus Erechim, conversou com representantes da Secretaria de Saúde do município e da Fundação Hospitalar Santa Terezinha (FHST). E ambos confirmaram a necessidade de maior número de equipamentos.

Em uma ação conjunta entre o Campus, empresas como a Cercena e a Moretto, e pessoas da comunidade, foi elaborado o protótipo de um protetor facial (face shield). Eles servem para evitar que secreções maiores respinguem durante o atendimento de pacientes. Parte do equipamento foi produzido em impressora 3D do Campus Erechim. Nesta quarta-feira, 25, o equipamento foi entregue à Fundação Hospital Santa Terezinha para a validação do modelo.

De acordo com o docente, a meta é produzir pelo menos 200 face shields. Pessoas, instituições e empresas interessadas em auxiliar podem fazer contato pelo telefone (54) 99206.9659, com o professor Airton.

A FHST também apresentou ao IFRS de Erechim a demanda por parceria para a manutenção dos respiradores. Segundo a instituição de ensino, a questão está sendo estudada.

Em Bento Gonçalves, equipamentos começam a ser entregues

Fotos: IFRS/Divulgação

Fotos: IFRS/Divulgação

O Centro Tecnológico de Acessibilidade (CTA) do IFRS e o Laboratório de Prototipagem para Ensino de Ciências (Lapec) do Campus Bento Gonçalves do IFRS participam da rede que está elaborando os protetores faciais. Nesta terça-feira, 24 de março de 2020, foram entregues os dez primeiros materiais para o Hospital Tacchini, de Bento Gonçalves.

O CTA está utilizando seus equipamentos para fazer o corte a laser e a furação da parte frontal da folha de PET dos face shields. Seguindo as orientações do IFRS para proteção contra o novo coronavírus, servidores se revezam para trabalhar nos materiais. Além do IFRS, há representantes de outras instituições, empresas e pessoas físicas auxiliando. A maioria com os equipamentos em suas próprias residências. Atualmente, são quase 20 colaboradores, mas a rede segue crescendo.

Cada um ajuda como pode: com a impressão das peças em impressora 3D, a doação de filamentos (matéria-prima necessária para a impressão) ou com corte a laser e furação. A estimativa é produzir entre 500 e 600 equipamentos, a serem destinados para serviços de saúde públicos e privados dos municípios de Bento Gonçalves, Garibaldi e Carlos Barbosa.

A iniciativa é inspirada em uma ação realizada na Europa, que disponibilizou o modelo do equipamento de forma gratuita para quem tiver interesse e possibilidade de produzir. Ao conhecer o projeto, Otávio Carvalho, morador de Bento Gonçalves, articulou-se inicialmente com a Secretaria Municipal de Saúde. Ele conta que a rede continua aberta para quem puder ajudar, com as impressões 3D, os cortes a laser e a doação de filamentos. Caso outros municípios tenham interesse em articular força-tarefa semelhante, Otávio também se disponibiliza a passar as orientações. Contatos pelo telefone (54) 99628.6862.

PUBLICIDADE