Em ótima companhia em qualquer lugar
Rádio Difusão, a sua melhor escolha
Sintonize conosco e fique por dentro de tudo
Ouça os melhores lançamentos musicais

Jupem completa 54 anos de história em 2022

Publicado 21/03/2022 às 10:55

O Jupem foi fundado em 06 de maio de 1968 pelos religiosos Padre Walenty Nowacki e Irmã Wanda Szymla, com o intuito de cultivar a cultura polonesa entre os jovens.

O canto, a música e a dança sempre estiveram muito presentes, característica do povo polonês, sem esquecer da fé e da religiosidade.

Com o passar do tempo, o Jupem transformou-se em um dos maiores grupos folclóricos poloneses do mundo, sendo referência cultural da etnia fora do país eslavo.

Toda esta trajetória teve relevante trabalho dos membros, famílias, coreógrafos e diretorias que passaram pelo grupo, tendo o maior dos desafios: manter viva a tradição do povo polonês, através do exemplo e dedicação de seus fundadores.

Todo o profissionalismo do Jupem é perceptível quando sobe aos palcos, seja através dos trajes coloridos, muitos destes vindos da Polônia, ou pelas danças e coreografias contagiantes.

Para a ex-presidente Maria Vanda Krepinski Groch, o Padre Walenty Nowacki e Irmã Wanda Szymla cumpriram sua missão na Cultura Polonesa quando se dedicaram às crianças e aos jovens, em 1968, deixando como herança o Grupo Folclórico Polonês de Erechim – Jupem.

”Kultura ne ma granic. – Cultura não tem fronteiras. Kochajmy Sie! – Amêmo-nos! Encontrar e conversar com pessoas que foram jupenianos dá a dimensão do papel educativo e formativo que as famílias depositavam no Grupo. E tem que ser assim, porque este foi o propósito. Comemorar 54 anos de História se reveste de imensa gratidão para com todos: famílias, comunidades, autoridades, amigos no Brasil e na Polônia, Espanha, Itália, Chile, Argentina, Paraguai e Peru. Aos Jupenianos de todos os tempos que construíram esse imenso patrimônio cultural e aos que fizeram parte da equipe diretiva, oferecer nosso coração agradecido e cheio de amor pelo pedaço de nossa vida que tivemos a ventura de compartilhar. Comemorar é celebrar a continuidade, mesmo com os tropeços vividos neste tempo, afirma a ex-presidente.

Mais do que um grupo de dança, canto e música, o Jupem é uma Escola de Vida. Quem faz parte dessa família, carrega consigo amizades, doces – mas também desafiantes – memórias, aprendizados e emoções que fazem toda a diferença na construção do ser humano.

MARCA DOS 54 ANOS

Para comemorar este momento ímpar, o grupo lançou sua marca comemorativa ”JUPEM 54 anos –  Viva a nossa História”.

Desenvolvida pelo designer de marcas, jornalista e marquetólogo, Adriel Ferreira, a logomarca traduz em suas cores vibrantes uma pena de pavão estilizada em forma de wycinanka, arte popular polonesa que utiliza o recorte e colagem de papéis. A pena de pavão está presente na cultura, principalmente no traje folclórico de Krakowiak.

Krakowiak é a segunda e mais antiga dança nacional polonesa, logo após o Polonez. Sabe-se por documentos e registros antigos que ela já era conhecida na corte do Rei Władysław Jagiełło no final do século XIV. Inicialmente, era uma dança de guerra destinada apenas aos homens. Isso porque é uma dança dinâmica, animada e vigorosa, cujos os passos principais lembram o galope dos cavalos de batalha.  Com o passar do tempo, ganhou popularidade em grande parte devido aos casamentos cracovianos, que foram frequentemente descritos na literatura. O Krakowiak é animado e alegre, e embora a execução na versão de palco exija uma boa preparação dos bailarinos, as crianças também podem dançar na versão básica.

Como o povo de Kraków é alegre, divertido e sua história está repleta de fantasia, seu traje é igualmente colorido e imaginativo. Entre todos os trajes folclóricos poloneses, foi o único que ganhou o honroso título de traje nacional, e hoje é considerado um patrimônio cultural do povo polonês. O traje usado pelos soldados na Revolta Kościuszko (1794), chegou a ser tema de música, inclusive. As palavras da canção folclórica “Albośmy to jacy tacy”, gravada no início do século XIX, caracterizam com bastante precisão o traje masculino de Krakowiak, refletindo ao mesmo tempo a riqueza dos ornamentos que apareciam nele.

Um dos elementos mais característicos é o quepe vermelho adornado com penas de pavão. As penas eram usadas principalmente em casamentos e demais ocasiões festivas, mas também eram consideradas uma marca para identidade dos homens de Kraków.

Assim também é o Jupem e sua história: alegre, divertido, colorido, cheio de encantos, fantasia, dinâmico e animado.

Durante o decorrer do ano, serão realizadas diversas atividades alusivas aos 54 anos, rumo aos 55 anos.