Em ótima companhia em qualquer lugar
Rádio Difusão, a sua melhor escolha
Sintonize conosco e fique por dentro de tudo
Ouça os melhores lançamentos musicais

Livro ACCIE: 100 anos de história relata a trajetória da entidade, de seus presidentes e do município

Publicado 2/05/2022 às 03:23

Uma noite memorável. Assim vai ficar marcada a noite do dia 29 de abril, quando a Associação Comercial, Cultural e Industrial de Erechim promoveu o lançamento do livro ACCIE: 100 anos de história e comemorou os seus 103 anos de fundação.

Com a presença de mais de 300 convidados, a entidade iniciou a recepção no hall do Pólo de Cultura com uma exposição virtual sobre o seu primeiro centenário. Em seguida, todos se dirigiram ao Salão de Eventos, no 3º andar, para a solenidade de lançamento do livro e comemoração do aniversário de 103 anos. Também assistiram a um vídeo com depoimentos dos ex-presidente contando como foi estar à frente da associação e o que ela representa para a comunidade erechinense e regional. O projeto também contemplou um audiolivro visando oportunizar acessibilidade para que mais pessoas possam conhecer a história da ACCIE.

Prestigiaram o evento o prefeito de Erechim, Paulo Alfredo Polis, os ex-prefeitos Eloi João Zanella e Luiz Francisco Schmidt, ex-presidentes, familiares de ex-presidentes, Rainhas da Frinape, representantes dos patrocinadores culturais do livro, autoridades, pessoas que fazem parte da história da ACCIE, convidados e imprensa. Uma das presenças importantes foi a do neto do primeiro presidente da ACCIE Alberto Roehe, João Alberto Roehe, importante fonte para o resgate da história de seu avô.

PRESENTE

Em comemoração ao seu primeiro centenário, transcorrido em 2 de abril de 2019, a ACCIE presenteou a comunidade erechinense e regional com o livro ACCIE: 100 anos de história, um livro de resgate histórico, apresentando brevemente a trajetória do município de Erechim. Uma imersão no passado, contextualizando a história da entidade e dos seus gestores, empreendedores, homens de visão, que trabalharam comprometidos com o desenvolvimento de Erechim e região.

É resultado de um projeto da ACCIE aprovado em agosto de 2019 pela Lei de Incentivo à Cultura do Ministério do Turismo – Secretaria Especial da Cultura – Governo Federal. O projeto teve como autoras a executiva da ACCIE, Giovana Da Veiga Dariva, e Tainete Farina. A aprovação e liberação para a captação de recursos foi publicada no Diário Oficial da União, no dia 25 de setembro de 2019, e a captação ocorreu durante aquele ano, feita pela Allianssa Auditores Associados.

Os responsáveis pela produção editorial e gráfica do livro ACCIE: 100 anos de história são a jornalista Maria Lúcia Carraro Smaniotto, a historiógrafa Neusa Cidade Garcez; o pesquisador Enori Chiaparini, a executiva Giovanna da Veiga Dariva; o publicitário e fotógrafo Roberto Hachmann; os designers Mariah Carraro Smaniotto e Bruno Rosselli.

São patrocinadores e apoiadores culturais da obra a Triel-HT, Sementes Estrela, Plaxmetal, Perfil Metais, Peccin, Kesoja, Futura Agrícola, Cropfield, Cercena S/A Indústria Metalúrgica e Cavaletti S/A Cadeiras Profissionais, a quem, a ACCIE deixou seus mais profundos agradecimentos por acreditarem neste projeto de resgate da história da sua entidade. Foram impressos 1.000 livros que serão distribuídos de forma gratuita às escolas, entidades culturais de Erechim e Região, patrocinadores, bibliotecas, entidades parceiras e associados.

AGRADECIMENTOS

A executiva da ACCIE, Giovana da Veiga Dariva, falou em nome dos autores e pesquisadores da obra. Ela lembrou que a ACCIE ao acrescentar o C de Cultura ao seu nome, assumiu a responsabilidade de criar vários projetos, entre eles a publicação de livros, como Erechim no coração do Mercosul e Álbum fotográfico da história de Erechim (ambos de 1999). Com o propósito de retomar esses projetos e atualizar materiais, foi produzido um novo livro, Retratos do passado, memórias no presente (2012). Ao concluir o projeto, no último capítulo, foi incluído um breve resumo da ACCIE, já com a ideia de um novo livro”, lembrou. “Começamos a estruturar a equipe e os principais temas que seriam abordados no livro. Buscamos todo o material que havia sobre a história da entidade e trouxemos para a sala de reuniões da ACCIE. Dividimos as atas com pesquisadores, planejamos como seria construído o livro e optamos por seguir a cronologia dos fatos, em décadas”, comentou.

Segundo ela, as pessoas que passaram pela associação sempre acreditaram que poderiam construir um Erechim melhor, uma região forte, local ideal para investir e construir raízes. Desde as primeiras atas, havia um propósito único de promover melhorias significativas para o bem-estar social, crescimento da economia, fomento do desenvolvimento sustentável de uma região promissora. Muitos presidentes e diretorias passaram por aqui, e todos eles deixaram sua contribuição e fazem parte dessa história centenária”, relatou.

Sobre o livro ACCIE: 100 anos de história, ela informou que foi baseado em fontes primárias, atas, correspondências, informações com familiares, arquivo municipal, matérias de jornais e no conhecimento da equipe. “Nosso trabalho foi intenso, mas com muito respeito, responsabilidade, comprometimento e Amor. Respeito com história desta entidade. Responsabilidade na busca dos recursos materiais e imateriais. Comprometimento da equipe com o trabalho e a seriedade na execução desta obra. Amor que moveu, que transformou. Cada um deixou aqui a sua melhor entrega, seu tempo, seus anseios, sua dedicação. Fomos alquimistas deste processo. Tínhamos tudo e ao mesmo tempo nada, papéis do século passado, documentos raros, jornais, fotografias, depoimentos. Transformamos tudo isso em uma obra inédita que irá marcar a cronologia da história de nossas vidas, da nossa entidade e da nossa cidade.

Giovana reforçou a importância de valorizar a história, pois um fato constatado pela equipe foi que não há o costume e a tradição de cuidar da história, preservá-la e divulgá-la. “O que está registrado neste livro não é somente a história da instituição, mas histórias de vidas”, acrescentou.

Teceu agradecimentos especiais aos responsáveis pelo livro, “que não mediram esforços para a concretização deste projeto. Ao finalizar afirmou que foi um aprendizado enorme para todos, várias lições para a vida que conduziram a um único caminho: “Tudo vale a pena quando é feito com responsabilidade, respeito e amor”, finalizou.

PALCO DE MUITAS AÇÕES

Em seu pronunciamento, o presidente da ACCIE, Fábio Vendruscolo, destacou que a edificação desta entidade se deu graças ao esforço de muitos colaboradores, diretores, presidentes, gestores públicos e os mais importantes nesta construção que foram os associados que, ao longo dos anos, assentaram tijolos para que a ACCIE alcançasse dimensões maiores. Segundo ele, a trajetória de 103 anos se confunde com a história de Campo Pequeno. “Somos contemporâneos em idade e similares em ações em prol da sociedade”, afirmou.

Conforme falou, Erechim e a ACCIE cresceram lado a lado, de mãos dadas. “Construímos na cronologia do tempo mais de 103 pilares que auxiliaram nas mais diversas áreas. Pilares no comércio, na cultura, na indústria, no serviço, no agronegócio. Pilares robustos e sólidos na sociedade”, afirmou.

Seu discurso passou pelas várias ações em que a ACCIE é palco: como feiras setoriais, de negócio, feira-festa como a Frinape e inúmeras exposições, estudos e palestras, projetos e entretenimento, sala de aula abrigando valorosos projetos como o Coder (Conselho de Desenvolvimento de Erechim), ações sociais no seu papel de responsabilidade social, tradições gaúchas, Prata da Casa, Rally, culinária das etnias e gaúcha, cultura, cartão postal da cidade pela imponência da sua obra física – o Pólo de Cultura, teatro, música, orquestra. “Os sons ecoam além das paredes, mas, acima de tudo, na alma das pessoas”, falou.

RECONHECIMENTO

O presidente do Conselho Deliberativo da ACCIE, Claudionor Mores, durante seu pronunciamento, se dedicou a fazer agradecimentos a todos que fazem parte da história da ACCIE: ex-presidentes, diretores, associados, empresários e patrocinadores culturais do livro. Também foi o protagonista de uma homenagem à executiva da ACCIE, Giovana da Veiga Dariva, pela coordenação do projeto do livro, lhe entregando uma placa. Para isso, convidou os presidentes presentes para se unirem neste reconhecimento.

O prefeito de Erechim, Paulo Alfredo Polis, que no ato representou a presidência da AMAU, disse que o papel do prefeito na semana de aniversário do município é de reconhecimento e agradecimento. Erechim completaria 104 anos de emancipação político-administrativa no dia 30 de abril. “Nós temos uma história linda, que é forjada a trabalho. E essa história se confunde muito com a história da ACCIE”, enalteceu. Segundo ele, esse é o nosso DNA, especialmente porque temos uma indústria diversificada, inovadora, competente. Também temos uma agroindústria forte, produzimos carne para o Brasil e para o mundo. “Essa é a nossa força motriz e precisamos fazer o nosso agradecimento a cada empresário que ajuda a construir essa cidade e a fazer a sua história”, afirmou.

ENTREGAS

O presidente da ACCIE, Fábio Vendruscolo, e o presidente do Conselho Deliberativo, Claudionor Mores, procederam a entrega dos livros. Inicialmente para os autores e responsáveis pela obra: Maria Lúcia Carraro Smaniotto, Neusa Cidade Garcez, Enori Chiaparini, Giovana da Veiga Dariva, Roberto Hachmann, Tainete Farina, Mariah Carraro Smaniotto e Bruno Rosselli.

Em seguida, foi entregue um audiolivro para a presidente da Adeve – Associação dos Deficientes Visuais de Erechim, Jandira Ronemberg.

Os presidentes da entidade, protagonistas deste livro, receberam seus exemplares: Jandir Antônio Cantele (representado pelo seu filho Marcelo Cantele), Flávio Zanardo, Maximino Tormen, Nilton Miguel Groch, Mauro Gotler, Deoclécio Corradi e Mario Luiz Cavaletti.

Também receberam os patrocinadores da obra: Cavaletti, Cercena, Cropfield, Futura Agrícola, Kesoja, Peccin, Perfil Metais, Plaxmetal, Sementes Estrela e Triel-HT.

Na sequência, receberam os familiares de cada ex-presidente: Alberto Roehe, Eurides Castro, Cesar Sciulo, Aminthas Maciel, Achyilles Caleffi, Nelcinho de Andrade Hoffman, Otto Eduardo Müller, Aldo Arioli, Victorio Fasolo, Germano Hoffman, Mario Corradi, Eolo Antonio Arioli, Romeo Madalozzo, Ermínio Mascherin, Narciso Passuelo, Renato Caron, Menno Reuwsaat. As entregas seguirem para as Rainhas da Frinape, pessoas que contribuíram com muitas Frinapes, e o prefeito de Erechim, Paulo Alfredo Polis.