Em ótima companhia em qualquer lugar
Rádio Difusão, a sua melhor escolha
Sintonize conosco e fique por dentro de tudo
Ouça os melhores lançamentos musicais
Correspondente Ipiranga.
Rede Gaúcha SAT
Correspondente Ipiranga
Rede Gaúcha SAT

Ministro Paulo Guedes diz que o Brasil deve ter uma desaceleração econômica em 2022

Publicado 16/12/2021 às 09:47

Guedes anunciou que o governo brasileiro informou oficialmente ao FMI que não precisa mais da presença da instituição no Brasil
Foto: Antônio Cruz/Agência Brasil

O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse que o Brasil deverá ter uma desaceleração econômica em 2022. Segundo ele, isso ocorrerá em razão do efeito da alta da taxa básica de juros e do combate à inflação.

No entanto, de acordo com o ministro, a desaceleração poderá ser contrabalanceada pela elevação nos investimentos já contratados, advindos das privatizações, e pelo Auxílio Brasil, que deverá fazer o consumo aumentar.

“Ano que vem, pelo efeito da alta de juros e combate à inflação, que é um vetor importante, terá uma desaceleração econômica. É fato, sim, deve haver. Só que há outros vetores funcionando: de um lado, o Auxílio Brasil, sustentando consumo, e, de outro, R$ 700 bilhões de contratos para os próximos dez anos, que são investimentos”, disse Guedes na quarta-feira (15), após participar do evento Moderniza Brasil – Ambiente de Negócios, realizado na Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo).

Aumento de salários

O ministro disse ainda que não vê como oportuno um aumento dos salários do funcionalismo em 2022. De acordo com ele, caso ocorra, a elevação da remuneração dos funcionários públicos tem que ser “um negócio muito específico, muito localizado e muito limitado em números”.

“Não é um momento oportuno, a economia acabou de se levantar. Chega agora e você transforma justamente esses recursos que nós conseguimos economizar, você agora aproveita e generaliza aumento de salário no Brasil inteiro, o funcionalismo em geral, estadual, municipal e federal. Você vai fragilizar as finanças de todo mundo de novo”, declarou.

O ministro da Economia ressaltou, no entanto, que categorias como policiais federais, policiais rodoviários federais e policiais civis poderão receber uma “reestruturação” nos salários. “[Essas categorias] têm a sensação de que os governos os abandonaram no passado, deixaram haver uma defasagem muito grande.”

FMI

Guedes anunciou ainda que o governo brasileiro informou oficialmente ao FMI (Fundo Monetário Internacional) que não precisa mais da presença da instituição no Brasil. Segundo o ministro, o FMI se instalou no País há muitos anos e esqueceu de ir embora.

“Nós, oficialmente, estamos dizendo que não precisamos tê-los aqui mais, já há muitos anos que eles não precisavam estar aqui, ficaram porque gostam de feijoada, jogo de futebol, conversa boa e, de vez em quando, criticar um pouco e fazer previsão errada”, afirmou o ministro.

por O Sul