Em ótima companhia em qualquer lugar
Rádio Difusão, a sua melhor escolha
Sintonize conosco e fique por dentro de tudo
Ouça os melhores lançamentos musicais
Correspondente Ipiranga.
Rede Gaúcha SAT
Correspondente Ipiranga
Rede Gaúcha SAT
PUBLICIDADE

Novembro teve queda nos homicídios e aumento nos roubos e furtos no RS

Publicado 9/12/2020 às 07:22

EBC

Divulgado nesta quarta-feira (9), o mais recente relatório estatístico da SSP (Secretaria da Segurança Pública) do Rio Grande do Sul mostra, entre outubro e novembro, uma redução nas ocorrências de crimes graves como homicídio, ataque a banco, roubo de veículo e assalto em transporte coletivo. As exceções ficaram por conta dos roubos e furtos em geral, além dos casos de feminicídio.

O governo gaúcho tem priorizado a publicação de dados comparativos entre o período analisado e o seu correspondente no ano anterior – como agora, em que traça um paralelo entre novembro deste ano e o mesmo mês em 2019, em um cenário ainda sem pandemia.

Com isso, os resultados acabam demonstrando uma ênfase diferente da análise feita com exclusividade pela reportagem do jornal “O SUL”, baseada na avaliação periódica mais imediata, a cada intervalo de 30 dias.

Ambas os apontamentos, no entanto, têm como destaque a queda nos registros de homicídios. Em novembro, esse tipo de crime teve 118 notificações, contra 157 em outubro, o que representa uma baixa de 24,8%. Já na comparação com novembro do ano passado (135 ocorrências), a baixa foi de 12,6%.

A diminuição também pode ser verificada em ambos os parâmetros quando os crimes em questão são os de ataques a banco. Se em outubro foram dois incidentes desse tipo, em novembro o número caiu para apenas um (50% a menos). A queda é idêntica à constatada em relação a novembro de 2019.

Da mesma forma, os roubos de veículos passaram de 481 para 370 (-23%), ao passo que em novembro do ano passado haviam sido notificadas 832 ocorrências (-55,5%). Diferente do que aconteceu com os furtos de veículos, que apresentaram leve alta (2,3%), passando de 701 para 717 – na comparação com os 1.060 casos de novembro de 2019, porém, houve retração (32,4%).

Já os assaltos no transporte coletivo desceram de 98 para 77 (-21,4%) em relação a outubro. A estatística relativa ao mesmo mês no ano passado é praticamente estável, com 75 casos na época, o que implica um aumento de apenas 2,7%.

Elevação

Além dos já mencionados furtos de veículo, novembro teve mais casos de furtos em geral no Estado. Se em outubro foram 6.778 registros da modalidade, novembro registrou 7.276, uma variação positiva de 7,2%, ainda que na comparação com o mesmo mês do ano passado (8.822) tenha ocorrido uma baixa de 17,5%.

No que se refere aos roubos (quando a subtração é acompanhada de ameaça ou violência contra a vítima) em geral, o relatório da SSP-RS mostra uma ampliação de 3,5%: as 3.542 ocorrências em outubro subiram para 3.667 em novembro. Houve diminuição de 25,1%, porém, na comparação com novembro de 2019, quando esse tipo de crime motivou 4.897 notificações.

Também aumentaram os ataques a estabelecimentos comerciais, passando de 416 para 426 (2,4%) em novembro, mas 27,1% abaixo dos 584 incidentes da modalidade registrados no mesmo mês de 2019. Os latrocínios (roubo com morte da vítima), por sua vez, permaneceram estáveis, com cinco ocorrências em cada um dos últimos dois meses, porém com queda de 37,5% em relação às oito ocorrências de novembro do ano passado.

Crimes de gênero

Os feminicídios (assassinatos de mulheres por questões de gênero) subiram de quatro para cinco ocorrências (25%) entre outubro e novembro. Mas os casos caíram 55% em relação a novembro do ano passado, quando foram oficializadas 11 ocorrências desse tipo. Já as tentativas de feminicídio baixaram de 44 para 28 (36,3%) – na comparação com o mesmo mês de 2019 (39 ocorrências) a redução foi de 28,2%.

As ocorrências de estupro, por sua vez, baixaram de 171 para 154 (9,9%) em novembro, mas a estatística permaneceu praticamente estável em relação com o mesmo período do ano passado, que teve 156 casos (leve baixa de 1,3%).

Por O Sul

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE