Em ótima companhia em qualquer lugar
Rádio Difusão, a sua melhor escolha
Sintonize conosco e fique por dentro de tudo
Ouça os melhores lançamentos musicais
Don't Stop II
J. Carlos Nicolai
Toca Tudo
Apresentação
Amílton Drews

Provas do Enem 2020 serão em janeiro e fevereiro de 2021

Publicado 9/07/2020 às 12:55
Entrevista coletiva na sede do MEC, em Brasília. Foto: Naiara Demarco

Entrevista coletiva na sede do MEC, em Brasília  |  Foto: Naiara Demarco

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020 será realizado nos dias 17 e 24 de janeiro de 2021 (versão impressa) e nos dias 31 de janeiro e 7 de fevereiro de 2021 (versão digital). As novas datas foram divulgadas pelo secretário-executivo do Ministério da Educação (MEC), Antonio Paulo Vogel, e o presidente do Inep, Alexandre Lopes, nesta quarta-feira, 8 de julho, em entrevista coletiva na sede do MEC, em Brasília, e por videoconferência.

Vogel afirmou que as novas datas foram definidas após vários diálogos com as secretarias estaduais de Educação e entidades representativas das instituições de ensino superior públicas e privadas. “Diante do cenário atual, buscamos uma solução técnica e encontramos uma data que melhor se adeque para a maioria dos participantes do Enem”, explicou.

Secretário-executivo do Ministério da Educação (MEC), Antonio Paulo Vogel, em entrevista coletiva na sede do MEC, em Brasília Foto: Naiara Demarco

Secretário-executivo do Ministério da Educação (MEC), Antonio Paulo Vogel, durante a coletiva  |  Foto: Naiara Demarco

Segundo Lopes, mais da metade dos inscritos que responderam à enquete antes da escolha da data, disponibilizada na última semana de junho, na Página do Participante, preferiu os meses de dezembro e janeiro. “A gente também está atendendo à necessidade desses alunos que votaram. Como dissemos desde o início, a enquete não seria o único parâmetro para a definição da data. Também ouvimos os secretários de Educação e demais representantes das entidades educacionais”, afirmou.

O presidente do Inep também destacou que a instituição está preparada para aplicar o exame em janeiro e que busca, junto ao Ministério da Economia, um aporte adicional de R$ 70 milhões para adequações de segurança contra o coronavírus. “Vamos tomar todas as medidas de segurança do ponto de vista sanitário para a aplicação da prova. Para isso, teremos de alugar novas salas e disponibilizar equipamentos de segurança, como máscaras e álcool em gel, o que gera um custo além do que foi planejado inicialmente. Porém, já estamos em contato com o Ministério da Economia e isso não será um problema para a realização da prova”, tranquilizou.

A coletiva de imprensa também contou, por videoconferência, com a participação de Cecília Motta, secretária de Educação do Mato Grosso do Sul e presidente do Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed); Fred Amancio, secretário de Educação de Pernambuco e vice-presidente do Consed; e Rossieli Soares, secretário de Educação de São Paulo. Todos apoiaram a decisão do MEC e do Inep sobre as novas datas de aplicação do Enem 2020.

Cecília agradeceu o diálogo feito pelo MEC e o Inep com o Consed e ressaltou a importância de o Enem ser realizado no início do primeiro semestre de 2021. “Este é um ano que está sendo muito difícil e chegar a um consenso não é fácil. No entanto, a decisão agradou a todos nós, porque a gente não pode perder o primeiro semestre, que é muito importante, nem perder a organização do Prouni, do Sisu e do Fies. Então, o Consed unanimemente aprovou esta data e achou-a muito interessante para os alunos da rede pública”, concluiu a secretária.

Diálogo
De acordo com o Inep, foram analisados os cenários possíveis de realização do exame em conjunto com o MEC e entidades educacionais. Entre elas, a Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes), o Conselho Nacional das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (Conif), a Associação Brasileira das Universidades Comunitárias (Abruc), a Associação Nacional dos Centros Universitários (Anaceu) e a Associação Nacional das Universidades Particulares (Anup).

PUBLICIDADE