Em ótima companhia em qualquer lugar
Rádio Difusão, a sua melhor escolha
Sintonize conosco e fique por dentro de tudo
Ouça os melhores lançamentos musicais
PUBLICIDADE

Sociedade Brasileira de Cardiologia alerta: Diabetes eleva risco de infarto e AVC

Publicado 13/11/2020 às 11:36

O dia 14 de novembro é lembrado anualmente como o Dia Mundial do Diabetes, doença crônica que afeta a maneira como o corpo metaboliza a glicose. No Brasil, 16 milhões de pessoas têm a doença, ou seja, um em cada nove adultos, e estima-se que 46% deles não sabem. Segundo a Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD), em 2045 serão 20 milhões de doentes.

O diabetes é um fermento para o infarto e o Acidente Vascular Cerebral (AVC). Mais da metade dos indivíduos que possuem alguma doença cardíaca possuem também algum transtorno relacionado à glicose no organismo. De acordo com a Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), mais de dois terços das pessoas que morrem do coração têm diabetes e mais de 80% das mortes por diabetes estão relacionadas a problemas cardíacos e renais, ou seja, vasculares.

Geralmente o paciente só é diagnosticado quando apresenta lesão na retina ou no rim, disfunção erétil ou doença cardíaca, por exemplo. Nesses casos, de acordo com a SBC, o diabetes evoluiu silenciosamente sem ser detectado e a confirmação tardia pode trazer complicações irreversíveis. O diagnóstico precoce, portanto, é fundamental para prevenir ou minimizar tais problemas.

Tipos de Diabetes
A manifestação do Diabetes pode ser pelo tipo 1, caracterizado pela falência das células beta no pâncreas; e pelo tipo 2, que ocorre por resistência à ação da insulina, tem a obesidade como um dos principais responsáveis. Aproximadamente 90% dos casos se apresentam dessa forma, tipo 2, e a Organização Mundial de Saúde (OMS) atribui à má alimentação e à falta de exercício físico. E projeta projeta que em 2025 haverá 2,3 bilhões de pessoas com sobrepeso e mais de 700 milhões de obesos no planeta. O que aumentará, consequentemente, o número de pessoas com diabetes.

“O diagnóstico do paciente diabético, hoje, está associado ao aumento do peso, que está relacionado a hábitos contemporâneos não saudáveis, como inatividade física e excesso de alimentos calóricos. Se as pessoas fizerem exercícios, ingerirem uma menor quantidade de alimentos calóricos e tiverem possibilidade de fazer dieta saudável, rica em alimentos naturais, elas terão uma menor ingestão de caloria. Reduzindo o peso se diminui a sobrecarga na produção de insulina”, afirma o diretor de Promoção de Saúde da SBC, José Francisco Saraiva.

Para ele, a criação de hábitos de vida saudáveis é a maior ferramenta na prevenção do diabetes. Para aqueles que já possuem a doença, o melhor a fazer é controlar a insulina, o que perpassa também pelos bons hábitos de vida. A dieta saudável, baseada em alimentos naturais e evitando o consumo de produtos processados, como açúcar, também diminui drasticamente o risco de doenças cardiovasculares.

“Existem inúmeros trabalhos na literatura que apontam para essa questão, quanto mais exercícios se faz, quanto menor o peso, menor a sua chance de complicações de saúde. É muito importante fazer o bom controle da glicose e sabemos que não é apenas isso, mas também o controle do colesterol, da pressão arterial e o combate ao tabagismo”, alerta o cardiologista. “Esse conjunto de ações é que leva à prevenção de problemas cardiovasculares, principalmente infarto e AVC. O problema do diabetes não é somente a doença cardiovascular, são também problemas renais; problemas dos vasos – levando à amputação; nos olhos – levando à cegueira. Não adianta o indivíduo fazer prevenção do infarto e não prevenir outros problemas.”

Webinar
A SBC realiza, no sábado, 14, Dia Mundial do Diabetes, às 10h, o Webinar Cardiol – Diabetes Mellitus tipo 2 e Doença Cardiovascular: da prevenção ao tratamento. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas por este link (clique para acessar).

A coordenação será do presidente da entidade, Marcelo Queiroga, junto com o presidente do departamento de Aterosclerose, Antônio Carlos Chagas; do presidente da SBD, Domingos Malerbi; e do diretor de Pesquisa e Educação da Clinimex, Cláudio Gil de Araújo.

A programação terá as seguintes palestras:
· Reduzindo a mortalidade na prevenção secundária, apresentada pelo diretor de Promoção de Saúde da SBC, José Francisco Saraiva;
· Estratificação de risco e dislipidemia aterogênica no DM2, apresentada diretora de Promoção e Pesquisa da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo (Socesp), Maria Cristina Izar; e
· Programas de prevenção na atenção primária – controle glicêmico, apresentada pela coordenadora do departamento de Saúde Pública da SBD, Karla Melo.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE