Em ótima companhia em qualquer lugar
Rádio Difusão, a sua melhor escolha
Sintonize conosco e fique por dentro de tudo
Ouça os melhores lançamentos musicais

SP vai começar vacinação infantil com a CoronaVac, anuncia Doria

Publicado 20/01/2022 às 02:37

Butantan tem 15 milhões de vacinas disponíveis para imunizar crianças e jovens | Foto: INSTITUTO BUTANTAN/DIVULGAÇÃO

O estado de São Paulo vai começar a vacinar crianças com idade entre 5 e 11 anos com o imunizante CoronaVac, anunciou o governador João Doria (PSDB) nesta quinta-feira. O uso emergencial da vacina, produzida pelo Instituto Butantan e pela farmacêutica chinesa Sinovac, foi aprovado nesta quinta-feira pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

“Prepare o braço, molecada! Anvisa autoriza vacinação de crianças e adolescentes de 6 a 17 anos com Coronavac. Iniciaremos imediatamente a vacinação. Esperamos imunizar toda garotada em, no máximo, 3 semanas”, escreveu Doria em sua conta no Twitter.

A aplicação do imunizante ocorrerá em duas doses com intervalo de 28 dias, e está liberada para o público com comorbidades, exceto em imunossuprimidos.

O Instituto Butantan tem, segundo o governo do Estado, 15 milhões de doses da Coronavac prontas e disponíveis para a vacinação de crianças da faixa etária de 5 a 11 anos. “Isso nos permitirá em São Paulo e em outros estados, vacinar rapidamente com a 1ª dose toda a quantidade de crianças que compõem essa faixa etária em até três semanas”, disse o governador.

“Nossa capacidade é vacinar a totalidade de crianças em São Paulo e disponibilizar 5 milhões para o Ministério da Saúde e para os demais estados.” O presidente do Butantan, Dimas Covas, afirmou que o processo de vacinação em São Paulo pode começar imediatamente. “Temos toda a estrutura pronta para levar a vacina a todos os 645 municípios”, disse Regiane de Paula, coordenadora do Programa Estadual de Imunização.

Por se tratar de uma solicitação de autorização de uso emergencial, a decisão foi tomada pela Diretoria Colegiada, com base em subsídios apresentados pela Gerência-Geral de Medicamentos e Produtos Biológicos e pela Gerência de Farmacovigilância. Cada diretor elaborou o seu voto para a aprovação do uso emergencial.

Antes da aprovação, a única vacina autorizada pela Anvisa para o público infanto-juvenil é a produzida pela Pfizer/BioNTech. Na sexta-feira (14), o estado de São Paulo aplicou a primeira dose da vacina contra a Covid-19 da campanha de vacinação infantil em uma criança indígena de 8 anos.

A campanha, que abrange a faixa entre 5 e 11 anos, teve início no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. A expectativa do governo é vacinar 4,3 milhões de crianças em três semanas. O governador João Doria (PSDB) acompanhou o começo do processo.

Aprovação da vacina

Ao longo das últimas semanas, a Anvisa se reuniu com pesquisadores do Butantan para analisar os resultados de testes da CoronaVac em crianças e adolescentes. De acordo com um dossiê com artigos sobre a eficácia da vacina publicado pelo instituto no início deste mês, a vacina é segura para a população de 3 a 17 anos e pode induzir uma forte produção de anticorpos no grupo pediátrico.

por R7