Em ótima companhia em qualquer lugar
Rádio Difusão, a sua melhor escolha
Sintonize conosco e fique por dentro de tudo
Ouça os melhores lançamentos musicais
Canto Nativo
Apresentação Docimar Schmidt
PUBLICIDADE

Transferir a propriedade de veículos no Rio Grande do Sul fica mais barato

Publicado 3/05/2021 às 03:03

A taxa de alteração de registro é uma das três que o Detran-RS cobra para os serviços de transferência de propriedade
Foto: Divulgação/Detran-RS

O novo valor da taxa de alteração de registro do Detran-RS (Departamento Estadual de Trânsito do Rio Grande do Sul), paga nos serviços de transferência da propriedade de veículos, entrou em vigor nesta segunda-feira (03).

Antes com dez faixas de preço que variavam conforme o tipo, a potência do motor e a idade do veículo, que chegavam a custar R$ 1.189,54 (no caso de um ônibus de até quatro anos de fabricação), agora a taxa tem valor único fixado em R$ 149,33 para todos os veículos.

Estão previstas ainda isenções em 2021 para veículos leves de até 100 cavalos e com mais de sete anos de fabricação e para motocicletas nos próximos dois anos. A redução, prevista na Lei Estadual 15.605/2021, sancionada pelo governador Eduardo Leite em 12 de abril, chega a 87% no caso dos ônibus seminovos.

“Além de equalizar o valor do serviço para todos os veículos, conforme entendimento do STF (Supremo Tribunal Federal), a mudança busca incentivar a regularização da frota, especialmente de duas rodas”, informou o governo gaúcho.

A taxa de alteração de registro é uma das três que o Detran-RS cobra para os serviços de transferência de propriedade. Além dela, há o custo de vistoria do veículo (R$ 63,17 para motos, R$ 85,23 para veículos médios e R$ 127,84 para veículos pesados) e geração do Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo em meio digital – CRLV-e (R$ 226,86).

Prazos na pandemia

Em razão do agravamento da pandemia de coronavírus no RS, o Conselho Nacional de Trânsito prorrogou, por tempo indeterminado, o prazo para efetivação da transferência de propriedade de veículos adquiridos desde 18 de fevereiro de 2021. Enquanto a Resolução Contran 836/2021 não for revogada, não haverá autuação para quem não transferir.

No entanto, para veículos adquiridos no ano passado, entre 19 de fevereiro e 30 de novembro, o prazo máximo para fazer a transferência de propriedade coincide com o calendário de licenciamento do Detran-RS, conforme definido na Resolução 805/2020. No Rio Grande do Sul, expirou em 30 de abril para placas com finais 1, 2 e 3; vai até 31 de maio para placas com finais 4, 5 e 6; 30 de junho para placas com finais 7 e 8; e 31 de julho para placas com finais 9 e 0.

Por O Sul