Em ótima companhia em qualquer lugar
Rádio Difusão, a sua melhor escolha
Sintonize conosco e fique por dentro de tudo
Ouça os melhores lançamentos musicais
Frequência Livre
Apresentação
Paulo Frizzo
Rádio Cidade
Apresentação Francisco Basso Dias

Bolsonaro diz que a esquerda “parece obcecada em destruir nossos símbolos nacionais”

Publicado 3/08/2022 às 04:05

Segundo o presidente, “respeito se conquista com caráter, com trabalho e com valores”
Foto: Fábio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

O presidente da República e candidato à reeleição, Jair Bolsonaro, afirmou que a esquerda brasileira “parece obcecada em destruir nossos símbolos nacionais”.

“No Brasil, a esquerda também parece obcecada em destruir nossos símbolos nacionais. Na verdade, essa é apenas mais uma forma de dividir o País, desrespeitando a sua cultura e suas tradições. Respeito se conquista com caráter, com trabalho, com valores, não com essas baboseiras”, afirmou Bolsonaro nas redes sociais, na noite de terça-feira (02).

Ele deu a declaração após criticar a oficialização do uso da chamada “linguagem neutra” pela Argentina. “Lamento a oficialização do uso da ‘linguagem neutra’ pela Argentina. No que isso ajuda o seu povo? A única mudança provocada é que agora há “desabastecimente”, “pobreze” e “desempregue”. Que Deus proteja os nossos irmãos argentinos e os ajude a sair dessa difícil situação”, disse o presidente.

“Boa sorte a quem acredita que essas são as pautas mais importantes para um povo. Meu compromisso é o de seguir reduzindo a violência, criando um ambiente propício à geração de empregos, acelerando o crescimento da nossa economia e defendendo os valores sagrados da nossa Pátria”, concluiu Bolsonaro.

O Ministério de Obras Públicas da Argentina informou que começará a usar oficialmente a “linguagem neutra” e a “comunicação não sexista e inclusiva” como “formas expressivas válidas em produções, documentos, registros e atos administrativos em todas as áreas”.

A medida, publicada no fim de julho no Diário Oficial, vai na contramão daquilo que foi decidido pela prefeitura de Buenos Aires, capital do país, que, em junho, proibiu o uso das terminações de gênero neutro, como “e”, “x” ou “@”, nas comunicações institucionais e vetou que elas sejam ensinadas como parte do currículo escolar.

por O Sul